Milei escolhe ministro da Economia e diz que propostas para conter inflação foram bem aceitas nos EUA e no FMI

  • 29/11/2023
(Foto: Reprodução)
Presidente eleito da Argentina também decidiu manter peronista na Embaixada no Brasil. O ex-presidente do Banco Central e ex-ministro de Economia da Argentina Luis Caputo, em imagem de arquivo. Víctor R. Caivano/ AP Após fazer mistério nas eleições sobre quem seria ministro da Economia, o presidente eleito da Argentina, Javier Milei, escolheu um ex-presidente do Banco Central do país e com perfil de mercado para assumir a pasta. O nome escolhido pelo presidente eleito foi o de Luis Caputo, que comandou o BC na época do ex-presidente Mauricio Macri. Caputo é próximo a Macri, que foi considerado essencial para a eleição de Milei e vem sendo apontado como crucial para articular apoios no Congresso ao novo presidente. Milei, que visitou os Estados Unidos, disse nesta quarta-feira (29) que as propostas apresentadas por Caputo para resolver problemas econômicos do país - como a inflação na casa dos 140% foram bem recebidas nos EUA. Segundo o presidente eleito, Caputo, que participou de sua comitiva, recebeu “uma resposta extraordinariamente favorável” às propostas apresentadas durante reuniões com integrantes ​​do Tesouro norte-americano. Caputo chefiou a pasta da Economia entre 2015 e 2019, durante o governo do conservador Mauricio Macri. É apontado pela imprensa argentina como bastante próximo do mercado, principalmente o dos Estados Unidos, e com relação próxima com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Ele chegou a visitar a sede do FMI em Washington durante a viagem aos EUA. Ele deverá assumir a tarefa de garantir a chegada dos recursos necessários para enfrentar o déficit fiscal, um dos problemas mais graves na Argentina atualmente. Ainda sob a gestão de Macri, Caputo trocou a pasta de Economia pela presidência do Banco Central, instituição que Milei diz que pretende fechar por considerar responsável pela emissão monetária descontrolada e pela inflação superior a 142% ao ano. Embaixada seguirá com peronista Presidente eleito da Argentina tem reunião com FMI nos EUA Milei também decidiu manter à frente da Embaixada da Argentina no Brasil o atual embaixador, Daniel Scioli, que é peronista. Pelo menos dois veículos de imprensa da Argentina afirmam que Scioli, que é um político peronista (portanto um adversário de Milei) deverá seguir em Brasil, o “La Nación” e o “Todo Notícias”. Scioli é um político importante no país: ele foi ministro e governador da província de Buenos Aires. Em 2015, ele concorreu à presidência da Argentina e perdeu para Maurício Macri.

FONTE: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2023/11/29/milei-escolhe-ministro-da-economia-e-decide-manter-peronista-na-embaixada-no-brasil.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Anunciantes